quinta-feira, março 10, 2011

Montillo perde pênalti, e Cruzeiro empata sem gols com o Tupi


Em jogo antecipado da décima rodada do Campeonato Mineiro, Tupi e Cruzeiro não saíram do 0 a 0, no Mário Helênio, em Juiz de Fora, na noite desta quarta-feira. A Raposa teve duas boas chances para abrir o placar ainda no primeiro tempo, mas Montillo mandou as duas no travessão - a primeira, em cobrança de pênalti.
Com o resultado, o time celeste chegou ao segundo lugar na tabela, com 13 pontos, perdendo no saldo de gols para o líder América-MG. O Tupi, com nove, entrou na zona de classificação para as semifinais.
Na próxima rodada, a sexta do estadual, o Cruzeiro enfrenta o Democrata, no domingo, às 16h (de Brasília), na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. O Tupi, no mesmo dia e horário, recebe a Caldense, novamente em Juiz de Fora.
Superioridade e pênalti perdido
Animado pela vitória por 4 a 2 sobre o Uberaba, na rodada anterior, o Tupi não teve a empolgação refletida nas arquibancadas. O fim do feriado de carnaval deixou várias partes vazias no estádio. O Cruzeiro entrou em campo com os desfalques do meia Roger, vetado após sentir dores na panturrilha esquerda, e do lateral-direito Pablo, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Em seus lugares entraram Leandro Guerreiro e Everton, respectivamente.
O jogo começou bastante disputado, e os donos da casa marcavam forte a saída de bola da Raposa. Aos 13, Montillo recebeu de Everton e arriscou de fora da área. A bola bateu no travessão do goleiro Rodrigo. Dez minutos depois, foi a vez do Galo Carijó dar o troco. Marcel penetrou pela direita e soltou a bomba, mas Fábio espalmou a escanteio.
Aos 40, o Cruzeiro teve a melhor chance do primeiro tempo. Paulo Roberto puxou a camisa de Wallyson dentro da área, e o árbitro Alício Pena Júnior marcou pênalti. Na cobrança, Montillo acertou novamente o travessão. A noite não era mesmo do meia argentino, que voltou a sentir uma tendinite no joelho esquerdo e teve de ser substituído. O atacante André Dias entrou em seu lugar.
Futebol pobre na etapa final
O início da segunda etapa foi dominado timidamente pelo time da casa, que, no entanto, não traduziu em grandes chances a sua superioridade. Mais perigoso quando chegava ao ataque, o Cruzeiro quase abriu o placar aos nove minutos, com Everton. O goleiro Rodrigo fez mais uma brilhante defesa, à queima-roupa. Sem seus meias titulares (Montillo, Roger e Gilberto), a Raposa sofria com a falta de criatividade no meio-campo.
Aos poucos, o Tupi foi crescendo no jogo e passou a sair perigosamente nos contra-ataques. O meia Dudu e o atacante Farías ainda deram trabalho à zaga dos anfitriões, que soube segurar as investidas do adversário.

0 comentários:

Postar um comentário